fbpx

26 ago
Uma Projeção do Mercado de Computação em Nuvem

 

Computação em Nuvem se faz presente em nosso dia a dia de uma forma bem mais expressiva do que se imagina. Este serviço tornou-se quase que um pré-requisito de nossas atividades corriqueiras, como assistir um filme na Netflix, comprar com o cartão Nubank ou solicitar uma corrida pelo Uber, todos os exemplos são de empresas que executam suas aplicações em Nuvem.

 

Tecnologia Emergente

Uma das maiores empresas de consultoria na área de TI, Gartner, publicou em abril deste ano uma projeção das receitas do serviço de Nuvem Pública Mundial, na qual até final de 2019, os gastos estão previstos na ordem de $214,3 bilhões de dólares e em 2022, $ 331,2 bilhões de dólares. Essas receitas representam um aumento de na ordem de quase 55% em três anos, um mercado de tecnologia completamente emergente.

Um dos grandes marcos da Computação em Nuvem ocorreu em 2006, quando a Amazon Web Service passou a ofertar esta modalidade de serviço. Hoje, a oferta de provedores de nuvem é bem maior, destacando-se como os três principais provedores de Nuvem, a Amazon AWS, a Azure e a Google Cloud Platform, conforme evidenciado no relatório apresentado pela DevOps Research and Assessment (DORA) de 2018.

Em outubro de 2018, o Gartner discorreu a seguinte frase em seu Guia de Planejamento para Computação em Nuvem para 2019:

 “A Computação em Nuvem é a plataforma de inovação que o negócio digital exige. A nuvem se tornou a base que permite que as empresas se transformem, diferenciem e obtenham uma vantagem competitiva. ”

Diante de tantas assertivas apresentadas referente a Computação em Nuvem, convém questionar-se sobre expressividade deste modelo de serviço e o porquê de sua adoção. Sistemas executados em ambientes de Nuvem possuem:

Alta disponibilidade – Google Cloud, Amazon AWS e Azure dispõem de diversos Data Centers distribuídos geograficamente pelos países;
Dimensionamento automático – o hardware é redimensionado conforme o uso;
Escalabilidade – disponibilidade de recursos conforme demanda;
Grande oferta de serviços – Big Data, Inteligência Artificial, Blockchain, Internet das Coisas, entre outros.

Um aspecto relevante a se considerar é o financeiro: o cliente paga pelo o uso nos serviços de nuvem, portanto, torna-se economicamente mais barato do que a aquisição de equipamentos para disponibilizar o serviço na Internet.

 

No âmbito da Engenharia de Software

Do ponto de vista do Engenheiro de Software, para o projeto arquitetural de sistemas para o ambiente de Computação em Nuvem deve-se considerar alguns aspectos e saber usar as vantagens da Nuvem no projeto. O desacoplamento do código, a arquitetura de microsserviços, a execução destes em container, que são pequenos sistemas operacionais, e a gestão deste container pelo Kubernetes, são alguns exemplos de boas práticas nesta arquitetura.

Com isso, podemos concluir que o profissional de TI, de qualquer área, seja desenvolvedor, Engenheiro Software, analista de sistemas ou analista de infraestrutura, devem estar preparados, conhecer os serviços e acompanhar a evolução do mercado de Computação em Nuvem, somente desta forma sistemas passarão a ser altamente disponíveis, resilientes e tolerantes a falhas.

 

Deixe um comentário

3 Comentários em "Uma Projeção do Mercado de Computação em Nuvem"

avatar
Sort by:   newest | oldest | most voted
Maria Verônica de Lacerda Formiga
Maria Verônica de Lacerda Formiga

EXCELENTES INFORMAÇÕES

Harilton Araujo

Parabéns Prof Luciano pelo excelente conteúdo! Você sempre muito bem disciplinado. Sucesso.

Ravel

Ótima abordagem, explicação bem objetiva, professor. Parabéns!

Tem uma pergunta?
Nós estamos aqui para ajudar. Envie-nos um e-mail ou ligue-nos para (86) 3133-7070
Entrar em contato!
© 2017 iCEV Instituto de Ensino Superior