fbpx

22 nov
5 maneiras de como a tecnologia muda o e-commerce

Em 2015, nas compras de Natal, um comprador em Miami abocanhou um Rolex novinho, de 18 quilates, por US$29 mil pelo aplicativo da eBay no iPhone. O relógio, que foi vendido às 21h30 da véspera de Natal, foi despachado com frete grátis, previsão de entrega de um dia e pode ter sido comprado como um presente de última hora para alguém.

Esse foi apenas um dos mais de 100 milhões de itens vendidos por meio de dispositivos móveis na plataforma do eBay entre as festividades de Ação de Graças e Natal daquele ano. A transformação que os smartphones e tablets trouxeram, não apenas no eBay, mas também em todo o setor de varejo, tem sido impressionante. Ninguém conseguiu prever o grau em que esses dispositivos poderiam mudar a forma de se fazer comércio.

Prevejo que ao longo dos próximos cinco anos vamos ver o impacto de cinco tendências que mudarão o mercado de e-commerce. Algumas delas são: a era de todos os lugares, estoque e produção sob demanda (on-demand commerce), comércio verdadeiramente global, a realidade virtual como uma ferramenta de varejo e compras sustentáveis.

A era de todos os lugares

Esta nova era, pós-mobile — por vezes referida como a era da internet das coisas— descreve um mundo em que trilhões de telas e sensores estão conectados uns aos outros, e formam um ecossistema de dados que vivem na nuvem.

O futuro do comércio nesta nova era é sobre aproveitar o poder dos dados para adicionar contexto. Compras contextuais são experiências mais inteligentes, individualizadas, concebidas por dados em torno de tudo, desde preferências do comprador até a localização do estoque. Por que ir para um destino (digital ou físico) para comprar algo se ele pode vir até você? Por que ter estoque em um armazém se o produto já pode estar próximo dos consumidores? Por que projetar para uma tela de 3 ½ polegadas quando haverá centenas de formatos? Esta era anuncia uma experiência de compra profundamente personalizada para os consumidores e nova ordem mundial para a logística.

Estoque e produção sob demanda (on-demand commerce)

O modelo de produção atual é aquele que já existe há muitos anos: os fabricantes fazem um milhão de um determinado produto e, em seguida, tentam vendê-los. Mas, como estes centros produtivos tornaram-se tecnologicamente conscientes, impulsionados por dados e capazes de respostas rápidas, a necessidade de criar armazéns para estoque de produtos, e em seguida, encontrar clientes para eles, será eliminada.

Então, imagine um mundo onde você quer uma camiseta vermelha com a estampa da sua série preferida, no estilo e tamanho certo para seu corpo. Esta demanda é então imediatamente solicitada a um fabricante local em algum lugar no mundo e estará em sua casa em cinco dias. Essa realidade está mais perto do que muitos acreditam (é o que podemos chamar de on-demand commerce). Isso coloca a demanda em primeiro lugar e a oferta em segundo plano. Se tudo o que um consumidor quiser, puder ser produzido e entregue em apenas alguns cliques, a cadeia de suprimentos como conhecemos hoje vai ser transformada completamente.

O comércio verdadeiramente global

No futuro, todo o comércio online vai ser tornar verdadeiramente global. Em muitos aspectos já são, mas as estatísticas mascaram a realidade e muitos obstáculos ainda existem. Problemas aduaneiros, impostos, tarifas, idioma, moeda e marcos regulatórios complexos criam um ambiente de comércio global desafiador (principalmente para empresas brasileiras).

Na Vesteer, por exemplo, estamos trabalhando para torná-lo mais fácil para qualquer pessoa no mundo poder vender sem complicações, e eu acredito que ele vai ficar ainda mais fácil. Quando isso acontecer, creio que também irá abrir acesso aos mercados, a criação de emprego e eliminar a arbitragem geográfica implícita no comércio hoje.
Realidade virtual como uma ferramenta de varejo

A realidade virtual é um outro divisor de águas na vida do consumidor. Esta tecnologia imersiva entra no mercado de massa por meio de plataformas de jogos e está rapidamente migrando para outras indústrias.

A sua integração no comércio tem o potencial para criar uma mudança disruptiva. Isto vale especialmente para categorias impulsionadas pela emoção, que podem inibir as compras online. Estas incluem arte, moda e até mesmo automóveis, onde a capacidade de mergulhar no ajuste, sentir a textura de um item importa muito. A realidade virtual e aumentada terá um papel muito forte na construção da confiança, dando aos consumidores uma melhor noção do que eles estão comprando, fornecendo uma experiência virtual imersiva.

Compras sustentáveis

Estima-se que as compras sustentáveis têm o potencial para retirar até 340 milhões de toneladas de resíduos a nível mundial dos aterros a cada ano. Ao longo dos últimos anos, a velocidade da globalização tem sido surpreendente. A taxa de adoção da economia on-demand foi de tirar o fôlego. Tecnologia, e tecnologia móvel em particular, têm impulsionado uma mudança secular na forma como fazemos compras e vivemos, fazendo com que os mundos online e offline se unam de uma vez por todas.

Eu acredito que as cinco tendências que descrevi são capazes de fornecer outra mudança secular no comércio, puramente e-commerce. Ela está vindo, e as empresas que estão prontas para abraçá-la, conta com uma oportunidade de US$14 trilhões em jogo.

Por Vinícius Andrade, CEO da Vesteer, maior plataforma de criação, venda e distribuição de produtos personalizados em todo o Brasil.

Fonte: Startupi

Deixe um comentário

1 Comentário em "5 maneiras de como a tecnologia muda o e-commerce"

avatar
Sort by:   newest | oldest | most voted
trackback

[…] disso, o hábito de poupar pode garantir a compra de novos equipamentos, atualização da tecnologia, capacitação da equipe de trabalho, ampliação do espaço físico e até mesmo a expansão do […]

Compartilhe com um amigo

Tags

Tem uma pergunta?
Nós estamos aqui para ajudar. Envie-nos um e-mail ou ligue-nos para (86) 3133-7070
Entrar em contato!
© 2017 iCEV Instituto de Ensino Superior